EDUCAÇÃO PONTUADA

CARACTERÍSTICAS DA FAIXA ETÁRIA

Posted in Uncategorized by silvia maria do nascimento on 26/02/2012
Publicado em Uncategorized por silvia maria do nascimento em 21/07/2009 Editar

PREFEITURA MUNCIPAL DE SANTOS

Secretaria de Educação

DEAP – SEI

  1. Algumas características do desenvolvimento da faixa etária de 3 anos e meio a 6 anos e meio:

Podemos dizer que todo comportamento manifesto pressupõe um período latente de formação,ou seja para a criança chegar ao período operatório concreto, por exemplo, deve passar primeiro pelos estágios sensório-motor e pré-operatório.A ação da criança, assim como a de qualquer pessoa,reflete enfim sua estruturação mental, seu nível de desnvolvimento cognitivo, motor, social e emocional.

CARACTERÍSTICAS DA FASE DOS 3 1/2  A  4 1/2 ANOS:

  • SOCIAL:

Pede para ir ao banheiro e é capaz de esperar mais um pouco. Já realiza atividades da vida diária como lavar e enxugar as mãos, escolher roupas e alimentos.

Egocêntrica: não concebe uma situação da qual não faz parte. Não consegue dividir as coisas com alguém.

  • EMOCIONAL :

Na brincadeira começa a se identificar com os adultos e a imitá-los em brincadeiras.

Psicossexual: demonstra  interesse e exploração da área genital, por simples curiosidade.

No aspecto moral: O respeito da criança é derivado da soma: temor é afeição. As regras advém do adulto ou irmão mais velho.Necessita da aprovação social.

  • FÍSICO/MOTOR:

Corre, trepa, salta,joga bola, controlando melhor seus movimentos.

Pedala e dirige um triciclo.

Agarra bolas grandes.

Corta papel com tesoura.

Segura o lápis entre o polegar e os primeiros dedos.

Trepa nos imóveis.

Folheia livros e revistas, virando várias páginas de uma só.

Tem dificuldade em abotoar botões pequenos e desabotoar sozinham não amarra sapatos.

Abre e fecha torneiras( movimento de rosquear).

 Sobe e desce escadas, alternando os pés.

Fica sobre um pé momentaneamente.

Tira algumas peças de roupa como sapatos,meias, calça.

  • INTELECTUAL:

Pensamento: É  a ausência de conservação, classificação, seriação, e correspondência, ou seja, a criança não opera, baseando-se no que vê, na percepção. Baseia na aparência das coisas ( o mais alto tem mais).Ela dispõe os objetos aleatóriamente construindo pequenos arranjos. Fase das configurações espaciais.Não antecipa o que irá fazer através da linguagem. Não têm idéia do que irá fazer,faz porque gosta ou quer.O pensamento não é quantificado.Não entende o conceito de classe (  Ex. A criança não consegue entender que a banana, laranja e a maçã são parte da classe: FRUTAS.

Idade dos POR QUÊS.

Artificialismo: deforma a realidade de acordo com sua necessidade, porque acredita que as coisas da natureza foram criadas pelo homem.A brincadeira não está tão centrada em seu próprio corpo, mas em situações que são significativas à criança. A forma de brincar é solitária, tendo vários papéis ao mesmo tempo e sendo paralela, brinca do lado de alguém não com o outro.Quando vai chegando aos quatro anos  as brincadeiras vão ficando mais complexas e a criança vai se descentrando, começando a aceitar o outro na brincadeira – simbolismo coletivo, há o declínio das características mágicas e anímicas. Suas dramatizações vão ficando mais complexas, mais duradouras e carregadas de emoção. A brincadeira passa a ter três características: progresso em cenas ordenadas ( coerência); imitação exata do real; simbolismo coletivo ( diferenciação e ajustamento de papéis).

Para Winnicott  , o brinquedo se aproxima do sonho, reestrutura conteúdos inconscientes, lida com a realidade interna sem perder o contato com a realidade externa.

LINGUAGEM: Possui fala egocêntrica: grandes monólogos ( a fala tem função de planejadora de ação ).

Forma frases com palavras do seu dia a dia e começa a usar prenomes: eu, meu.

Chama-se pelo próprio nomee gosta de ouvir histórias sobre si mesma.

Fala de coisas e pessoas ausentes.

Reconhece algumas músicas e tenta acompanhar.

Diz muito não quando lhe pedem algo.

Nomeia e sabe para que servem as partes do corpo e objetos que a rodeiam.

Gosta de perguntar os porquês das coisas.Gosta de ouvir uma mesma história várias vezes.

Pode pronunciar errado os seguintes sons: r, lh,l e grupos consonantais que são os que normalmente a criança adquire por último. Após os 4 1/2 encaminhar.Casos de gagueira entre 3 e 4 anos também são frequentes.Neste caso  deve-se orientar a família  para evitar correções.Em caso de dúvidas,encaminhar.

DESENHO: Dos 3 aos 4 anos, fase da garatuja nomeada ou identificada: sóis radicais.Fala intencionalmente o que quer desenhar.Ainda não há figura humana.Ela nomeia o que ela faz e identifica.Nessa  fase há o movimento de punho ( não o movimento de pinça), ou seja, inicia o movimento da mão. Atenção hiper-exclusiva ( só  fala com você quando acaba o que está fazendo).

Inicia a discriminação de cores

2 . CARACTERÍSTICAS DA FASE DE  4  1/²  A  5  1/²  ANOS:

  • SOCIAL :

Tornam-se mais sociáveis e amistosas;

Já tem noção de grupo e participam de situações que implicam certa constância das ações individuais.As regras vão aparecendo, a medida que a brincadeira simbólica  solitária vai cedendo lugar à coletiva. A compreensão da presença do outro é, portanto, um grande desafio. A criança já é capaz de brincar coletivamente e de participar de jogos com poucas regras definidas, geralmente, pelo adulto ou criança mais velha ( brincadeira de cooperação). Este acordo ou combinação prévia entre os participantes das atividades contribuem para a socialização.

  • EMOCIONAL:

Desenvolvimento Psicossexual: Fase fálica ( edipiana) prazer derivado da estimulação genital e fantasias associadas. Complexo de Édipo: interesse sexual do menino pela mãe e da menina pelo pai.Fase da pancadaria, do xingamento, do namoro e da brincadeira sexual ( beijar o colega na boca, convidar os colegas a despir-se para explorar o corpo do outro).

Na moral:Não compreende punições coletivas quando entende não ter feito nada de errado.A criança  desta idade passa a considerar como piores mentiras as mais distantes da realidade. Por exemplo: entre dizer que tirou nota boa na prova quanto nao tirou e falar que viu um gato do tamanho de um elefante, a criança acha que a segunda é a pior mentira.

  • FÍSICO/MOTOR :

Possui uma grande energia motora.

Se anteeriormente estimulada, apresenta coordenação suficiente para utilizar tesoura e pincel fino.

Tira a roupa sozinha.

Sobe no trepa – trepa.

Fica  de pé sobre um só pé.

Distingue leve/pesado.

Agarra uma bola pequena com ambas as mãos.

Desafio perigos, testa sua capacidade motora.

  • INTELECTUAL :

Pensamento rápido,porém pré-lógico. A criança afirma o que pensa sem demonstrar pensar, ou seja, sem saber provar ou explicar.Retrata o que existe, não somente o que vê.

Ainda que aparente conhecer números ou sequência numérica, a maior parte é conhecimento de papagaio.

O sentido de tempo e duração começa a se desenvolver.

Dos 4 1/² aos 6 1/²  fase do desenho pré-esquemático. Início de uma organização espacial. A aproximação se dá em conta em cima de um vínculo emocional igual, isto é, desenha o que é importante para ela. Usa a cor que gosta no objeto que gosta. Ainda não usa o pé da folha como linha de base. Não há visão de raio  X ( não desenha por dentro ). Não há perspectiva.

Fala: aos 5 anos pronuncia todos os sons. Caso de gagueira ou fala errada não são normais.

3. CARACTERÍSTICAS DOS 5 1/² A  6 1/²  ANOS:

  • SOCIAL :

Desenvolve o sentimento de pertinência ao grupo.

Os jogos com regras aos poucos vão se tornando atraentes.

Começam a se preocupara com os outros.

As crianças já tem consciência dos grupos que participam: família, colegas da escola, colegas de rua ou prédio,etc.

  • EMOCIONAL:

No aspecto moral age com heteronomia: precisa do adulto ou criança mais velha para estabelecer as regras. Pede auxílio e aprovação do outro, porém fazem questão de justiça.

Na brincadeira: situações de grande envolvimento podem gerar grande excitação, que compromete a brincadeira, pois pode fazer com que a criança se sinta ameaçada e insegura diante de situações deste tipo, dá à criança a chance de reoganizá-las e controlá-las de forma ativa.

Esse comprometimento aparece sob a forma de desorganização motora e /ou verbal, e ainda, acompanhada ou não de agressividade frente aos objetos ou compulsiva ordem   e limpeza dos objetos, por projetar neles a desordem e o sujo   que sente em si.

Desenvolvimento Psicossexual: início da fase  de latência segundo Freud: com relação a repressão temporária dos interesses sexuais, o prazer deriva do mundo externo, da curiosidade,  do conhecimento, como gratificações substitutas. Nesse período a escola torna-se  muito importante para a criança. Os impulsos sexuais voltarão com força total na adolescência.

Começa a comparar as informações recebidas em casa com as dos colegas.

  • FÍSICO/MOTOR:

Pula   corda

Salta com um pé  só.

Gosta de acertar alvos.

Agarra bola pequena

Arremessa bolas.

Amarra cordão de sapatos.

Consegue costurar com pontos largos.

Consegue construir torres mais altas do que ela própria.

Faz dobraduras  simples.

  • INTELECTUAL:

A  partir dos 5 anos 1/²  em média  com relação a noção de conservação, classificação, seriação e correspondência, começa a antecipar através da linguagem o que irá fazer, denotando o início da construção de um método de trabalho, porém ainda é incapaz de justificar uma resposta adequada, pois não compreende o processo. A lógica da criança se contradiz com a percepção, entrando em conflito. Só por volta dos 7 anos, a criança percebe o objeto como algo que se conserva, apesar das alterações aparentes e classifica, seria e faz correspondência, tem capacidade de separar as partes do todo. A noção de número ainda está vinculada a correspondência com o objeto real.

  • LINGUAGEM:  Pergunta o significado das palavras:

Fala  correta e claramente.

Utiliza-se de frases complexas.

Adora recortar, picotar e modelar

  • DESENHO: gosta de desenhar gravuras de casas, árvores e a figura humana está sempre presente. Apresentam interesse pela leitura e tenta decifrar as letras.

BIBLIOGRAFIA:

  1. Apostila do curso: sorri,Brasil!. – Dezembro/1996
  2. BEE,Helen. A criança em desenvolvimento. Editora Artes Médicas.
  3. PILETTI,Nelson. Psicologia Educacional. 3ª Edição . Editora Ática.
  4. PIAGET,Jean & INHELDER, Barbel. A Psicologia da Criança . Rio de Janeiro,1978.

OBS: A apostila foi cedida ao grupo de professoras através da coordenadora pedagógica KÁTIA DERITO RAMOS .

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: